Google+ Followers

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

O cão e o lobo ( Um conto angolano )





Um dia morreu a mãe de um lobo; mas o orfão, sentindo mais fome do que pesar, disse para um cão seu amigo:
-É melhor comê-la : e depois quando morrer a tua, também a comeremos.
- Está dito !
Morreu a mãe do cão. Ora o lobo andava para a caça, e o seu colega pensou assim :
Se a enterro no mato, vem ele, o sempre faminto, sente o cheiro, abre a cova e devora-a ...
Será melhor enterrá-la debaixo da lareira.
Quando o lobo chegou perguntou :
- A tua mãe?
- Morreu e enterrei-a no mato - respondeu o cão.
Mas o carniceiro farejou por toda a parte, interrogou a terra, interrogou os ventos.
Debalde :
Não deu por nada!
Quis procurar na lareira, mas o calor era muito, escaldava-lhe as patas !


O cão, àquela vista rosnava, de si para si:


Eh, amigo, está  quente ! Bem me lembra a mim da combinação que foi feita nesse dia em que comemos a tua mãe!
             
                       
Desde então por diante, quando os cães se querem enrolar ao borralho, dão primeiro duas voltas completas em homenagem à progenitora sepultada na  terra quente, e salva por esse estratagema, da dentuça insaciável do lobo...


D. JOÃO EVANGELISTA DE LIMA VIDAL - (Por terras de Angola)


João Evangelista de Lima Vidal (Vera Cruz, Aveiro, 2 de abril de 18745 de janeiro de 1958) foi um religioso português, bispo de Aveiro e membro da Ordem Terceira de São Domingos
        (retirado do meu livro de leitura do 1º. ano do ensino  liceal  1952






    



















Sem comentários :

Enviar um comentário