Google+ Followers

domingo, 19 de março de 2017

A Primavera

A Terra é mãe eterna. A fecundá-la
passam os ventos, passa o sonho e a dor;
Apodrecem os corpos numa vala,
e desfolham-se as folhas duma flor.


Para que produza, matam-se a cavá-la
A Primavera, o poeta e o cavador
Todos com ânsia, para profundá-la,
todos amando-a, para que dê amor!


Mondam-se os trigos, sob os claros ares;
florescem nas ramadas os fecundos
rebentos; alvorecem os pomares...


E a Terra, a grande mãe alvoraçada,
sente no ventre, remexer, profundos
frutos, de cada beijo, cada enxada!



Afonso Lopes Vieira (século XlX- XX)
Poesias escolhidas
Retirado do livro a «Terra e a Grei»  1956
 para 1ª ano liceal


Sem comentários :

Enviar um comentário